Estudo das tendências gastronómicas para 2021 em Portugal

18 Fevereiro 2021
O estudo de tendências alimentares Discover 2021

Descubra como a COVID-19 moldou a perceção dos restaurantes e dos clientes

2020 foi pautado por ter sido um ano delicado para a indústria da restauração. O TheFork, plataforma líder em reservas de restaurantes, tentou compreender, junto dos seus utilizadores e restaurantes, como mudou o consumo fora de casa e quais são as tendências da restauração em 2021.

Quando pensamos no significado de usufruir uma refeição, podemos certamente afirmar que os tempos mudaram. Mais de 85% dos portugueses consideram que a Covid-19 afetou a forma como consomem as suas refeições. Graças a um estudo* realizado entre mais de 2300 utilizadores e mais de 300 restaurantes parceiros, o TheFork identificou alguns temas com uma tendência proeminente para o ano de 2021, tais como: a forma como os chefs adaptaram os seus pratos, a importância que a digitalização ganhou num contexto onde o contacto humano é cada vez mais reduzido, os novos hábitos dos consumidores que se mantêm resilientes e a crescente sensibilização para temas ecológicos.

2021 food trend plate

Onde irão os portugueses desfrutar das suas refeições em 2021?

Dado o atual contexto, a necessidade de ficar em casa e a preocupação pela saúde aumentou exponencialmente. Verificou-se que a inclinação para cozinhar em casa deve durar até 2021, uma vez que 75% dos portugueses inquiridos acreditam que este hábito se irá manter.

Contudo, a ida aos restaurantes continua a ser uma atividade insubstituível e imprescindível no quotidiano dos portugueses, caracterizado por uma cultura onde a partilha à mesa é essencial. Durante o período de confinamento, entre as atividades que mais causaram ausência, manifesta-se no top 3 a ida aos restaurantes, com 62%, a convivência com amigos e familiares (81%) e a ida de férias ao estrangeiro (77%). Após o primeiro confinamento, durante o período do verão de 2020, o registo de reservas a nível global foi consideravelmente similar ao do ano anterior, sendo que se registou um crescimento em Portugal, Suíça, Itália, Suécia e Bélgica em relação a 2019**. O mesmo se verificou para as refeições aos almoços, uma vez que muitos consumidores passaram a preparar os seus almoços, com a implementação do regime de teletrabalho em 2020. Registou-se que apenas 20% dos trabalhadores afirmam querer continuar a preparar esta refeição, enquanto 24% estão ansiosos para voltar aos restaurantes para almoçar.

Voltar aos restaurantes será ligeiramente diferente em 2021, uma vez que os consumidores estão mais preocupados com a sua saúde:  40% dos entrevistados irão ter em conta as medidas de segurança do restaurante antes de efetuar a reserva, 47% dos utilizadores irão preferir esplanadas e 51% irão privilegiar as  reservas online com mais regularidade. Apenas 24% dos consumidores estarão mais atentos às despesas gastas em restaurantes, pelo que o impacto é reduzido.

 

O destaque do serviço de entrega ao domicílio e takeaway

No que diz respeito a encomendas de entregas ao domicílio e takeaway, 66% dos utilizadores dizem ter usufruído com mais frequência destes serviços  desde que começou a crise pandémica. Para o ano de 2021, 74% dos consumidores acreditam que a tendência de utilização dos serviços de entregas ao domicílio e takeaway continuará a aumentar.

Do lado dos restaurantes, tem-se recorrido a estas soluções de modo a manter o negócio durante o período de maiores restrições e durante os meses em que estiveram fechados, sendo que 48% dos restaurantes recorreram às entregas ao domicílio e 76% ao serviço de takeaway.

delivery a temporary solution

Aumento da Digitalização na indústria da restauração

A pandemia destacou a importância dos meios digitais, numa realidade onde as relações sociais devem ser reduzidas e evitadas. O crescimento da digitalização no setor da restauração é algo que está cada vez mais presente na realidade atual, principalmente com a mudança exponencial das preferências dos consumidores e com o desenvolvimento e acessibilidade da tecnologia. Antes de escolher um restaurante, 88% dos consumidores pesquisam as avaliações em plataformas online. Desde a procura de informações sobre um restaurante à reserva de mesa de um restaurante, da partilha de experiências nas redes sociais à realização de avaliações, a indústria da restauração está a tornar-se mais digital em todos os pontos de contacto com o consumidor.

Desde o início da pandemia, 78% dos inquiridos afirma, utilizar, com maior frequência diária, tecnologias digitais. No que diz respeito à utilização digital dos portugueses, encontram-se ainda, no top 3, as compras online, as conversas com amigos e família e a visualização de filmes e séries.

Na perspetiva da indústria da restauração, 77% dos restaurantes inquiridos  afirmam  que as ferramentas digitais os ajudaram durante a crise pandémica e 92% continuarão a usá-las mesmo após este período. As reservas online (78%), o menu online (57%) e o pagamento digital (55%) são algumas das ferramentas mais mencionadas pelos restaurantes. Estas ferramentas permitiram ao setor da restauração agilizar a sua organização e os seus processos, gerir com maior facilidade questões relativas ao distanciamento, informar os consumidores de acordo com os protocolos e manter o respetivo contacto com os clientes. 

Durante esta altura mais delicada e difícil, os utilizadores precisam de transparência. Assim, o contato com o consumidor passa da mesa do restaurante para as redes sociais, de forma a manter uma relação mais significativa e próxima com o cliente: Segundo 75% dos restaurantes, as redes sociais têm sido utilizadas com maior frequência do que anteriormente.

thefork digitalization

As tendências indispensáveis para 2021

Esta crise mostrou a agilidade e criatividade da indústria da restauração que desenvolveu variadas novas ofertas face aos desafios que foram surgindo ao longo do ano de 2020. Os restaurantes tiveram que adaptar a sua ementa a esta nova situação, de forma a ir ao encontro das restrições que foram impostas. Neste estudo, registou-se que os portugueses desejam continuar a frequentar os restaurantes neste ano de 2021: 50% dos inquiridos dizem que irão até 2 vezes por semana, sempre que as medidas o permitirem. Em relação aos principais critérios dos clientes quando escolhem um restaurante, destacam-se: a qualidade da comida (90%), a oferta de descontos (71%), as medidas de segurança e higiene implementadas (50%), avaliações de outros utilizadores (47%) e se os restaurantes aceitam reservas online (44%).

Por outro lado, sobre as principais tendências identificadas para este ano de 2021, os utilizadores portugueses destacaram o crescimento da utilização dos serviços de entrega ao domicílio e takeaway (74%), maior adesão às  reservas online (65%), redução do desperdício alimentar (53%) e a elevada procura de menus menos dispendiosos e promoções em restaurantes (53%).



A sustentabilidade tem cada vez mais destaque nos nossos pratos

Com a crise pandémica instalada, a consciencialização ecológica ganhou maiores proporções. Com a redução acentuada do contacto e das atividades humanas, verificou-se uma melhoria significativa da qualidade do ar e uma redução na poluição da água de várias cidades pelo mundo fora. Também foi registado um decréscimo do consumo de carne em relação ao ano anterior. Não há dúvidas que a alimentação desempenha um papel importante na sustentabilidade do nosso planeta, sendo que 26%*** dos gases de efeito estufa são provenientes da nossa alimentação.

Também em Portugal, esta crise ajudou a destacar a importância da sustentabilidade, uma vez que 56% dos inquiridos prestam mais atenção à origem e qualidade dos alimentos - sejam sustentáveis ou alimentos biológicos e 41% afirmam começar a comprar alimentos em locais mais sustentáveis

Esta tendência verifica-se também na restauração com 67% dos restaurantes a dar mais atenção ao desperdício de alimentos e 30% a oferecer um menu mais reduzido. 52% dos responsáveis da restauração estão mais atentos à origem dos seus ingredientes e 14% afirmam já terem trocado de fornecedores por outros ecologicamente mais responsáveis.

 

* Estudo realizado pela plataforma TheFork, em dezembro de 2020, junto de 321 restaurantes em Portugal e 2384 utilizadores portugueses

** Dados internos TheFork

*** Fonte: Science - Junho 2018

 


 

 

 

Descubra o TheFork Manager

Ganhe maior visibilidade online

Aumente a sua taxa de ocupação de mesas

Lute contra no-shows

Confie em especialistas da indústria